quinta-feira, 9 de abril de 2009

A Fruta de Loulé e «Quarteira» na Europa Medieval

"As vinhas e os figueirais eram em geral propriedades protegidas e as vinhas régias, situadas nos reguengos de Quarteira e em Betunes, eram terrenos cercados  trabalhados por mouros libertos. A produção do vinho do Rei na região devia de ser significativa porque D.Dinis (1291) tinha aqui um relego ou reserva de venda exclusiva do seu vinho, nos primeiros três meses de cada ano."

Chanc. De D.Dinis LVII: FL 19
Al_ulyã - Revista do Arquivo Histórico Municipal de LOulé nº9 2003 pp.315
........................................................
Um coisa é certa, existem documentos relativos a vários séculos, em que a Quinta de Quarteira vem mencionada como terras ferteis de grande produção agricola. Quem sabe esta frase nos indique nesse caminho.

3 comentários:

Anônimo disse...

Olá João. Mais um prémio. passe no macloulé.
Boa páscoa.
João Martins

CRF disse...

Para quem não sabe Quarteira não era só figo e uva,no morgado de Quarteira fazia-se muito regadio,desde milho,tomate,batata redonda e doce,ervilha,hortaliças,feijão,até havia uma fábrica de calda de tomate,quase toda a gente de Almancil,Boliqueime,Vale Judeu e muita gente de Quarteira tinha uma courela arrendada onde produzia o que necessitava e ainda vendia.Quarteira ainda foi pioneira no plantio da cana do açúcar.

João Santos disse...

Sem dúvida, facto dessa qualidade produtiva existente nas terras é que D.João I mandou fazer neste território os primeiros ensaios de plantação de cana do açúcar.
Relativamente, ao espaço temporal estamos a falar de um período entre 1357 e 1433.